Minha Escolha:
Procure por Tag:
Nenhum tag.
Fique a Par:

Minhas dicas gastronômicas

99199-6259

# Na minha modesta opinião, o chef Giuliano Hahn é um dos medalhistas do Paraná. Além de criativo, ele mistura texturas e sabores, temperos e cortes especiais de carnes, transformando tudo em

maravilhas. Suas mãos têm o talento de Midas da gastronomia. Um dos cortes mais celebrados de carne, o mignon, por exemplo, tem presença marcante no menu do Armazém Santo Antônio. São quatro pratos diferentes que levam o nobre corte, em receitas elaboradas pelo Giuliano. Meu preferido entre os Santos da Casa é o Filet a Parmegiana. Para duas pessoas e servido a R$ 118, o mignon é empanado e preparado ao molho de tomates, acompanhado por gnocchi gratinado e molho Alfredo. Já nos pratos para uma pessoa, há três apresentações diferentes para o tournedor de mignon grelhado em manteiga de ervas. No Mignon Poivre Vret (R$ 68), ele é acompanhado ao risoto de cogumelos frescos e alho poró. Mignon Dijon (R$ 65) tem o corte servido com linguini de espinafre, enquanto Mignon com crosta de castanha e chá Lapsang Souchong (R$ 68) tem acompanhamento de risoto de alcachofras e queijo bire.Armazém Santo AntônioAberto para jantar de terça a sexta-feira das 19h30 às 23h30 e para almoço nos sábados e domingos das 11h30 às 15h30. Rua Solimões, 344 - São Francisco, telefone (41) 3077-5505.

# ADOROOO a cultura indiana com toda sua riqueza nos costumes, na gastronomia e religiosidade. E quando o assunto é a culinária, existe uma curiosidade muito grande acerca dos ingredientes e

condimentos que dão vida aos alimentos. Algumas receitas são tão singulares que tiveram de ser adaptadas ao paladar brasileiro. O proprietário do Swadisht, Jeetu Khemani, explica que a pimenta, por exemplo, o restaurante permite escolher o nível de pimenta no seu prato, podendo ser 1, 2 ou 3, sem perder o sabor das especiarias. Com relação aos ingredientes , o chef aproveitou que no Brasil temos castanha de caju, creme de leite e carnes de boi e frango que são comuns ao nosso paladar e incluiu nas tradicionais receitas indianas. "Apesar da maioria da população na Índia não comer carne de boi, no Brasil tivemos que adaptar para agradar aos clientes” comenta Jeetu. As receitas mais leves do restaurante também são parte dessa ocidentalização dos pratos indianos. A pedido dos clientes, o chef da casa, Ravi Shinde, com larga experiência na mistura dos aromas e sabores tradicionais, criou receitas exclusivas para o restaurante alinhando o sabor tradicional com elementos contemporâneos.O que todas as versões das receitas apresentam em comum é a variedade de condimentos, sabores e aromas, que são típicos da cultura indiana. O restaurante está localizado na Rua Vicente Machado, 2036, Batel.

# Pra valorizar e difundir um dos pratos mais tradicionais do Sul do Brasil, o Mukeka Cozinha Brasileira, está com a primeira edição do “Festival da Tainha”, até 06 de agosto. São dois modos especiais de

receita desenvolvidos pelo premiado chef Ivan Lopes, por R$ 44. Eu tenho um xodozinho pelo filet de tainha servido com cuscuz paulista e molho de camarão. Mas o filet de tainha servido com espaguete de pupunha (frio) e molho de manjericão é bem mais ligth. Outra dica desse restaurante é o open Bar de Vinho e Caipirinha. Por R$ 24,90, você escolhe e consome à vontade uma das duas opções. Se a escolha for a caipirinha, a casa traz diversas opções: Tradicional, Maracujá, Tom Jobim (Abacaxi e Uva), Noel Rosa (Limão Rosa e Mexerica), Morango, Caipiroska (Vodka), 3 Limões (Siciliano, Rosa e Taiti), Caipiríssima (com Rum), Saquerinha (com Saquê) e Mukeka (Carambola, Lima da Pérsia, Limão Siciliano e Limão Rosa). Já se escolher o Open Bar de Vinho, o cliente pode consumir vinhos tintos, vinhos brancos e espumantes. O Mukeka Cozinha Brasileira fica na Rua Machado de Assis, (nº 417), no bairro Juvevê, e funciona durante o almoço, de segunda a sexta, das 11h30 às 14h30, e aos sábados e domingos, das 12h às 16h; e durante o jantar, de segunda a domingo, das 19h às 23h.

# O restaurante Artè - comandado pelo chef Armando Fuoco, fica ali na Francisco Rocha, 612 e está com uma delicia no cardápio: festival “Steak & Wine”: pelo valor de R$ 49,90 por pessoa, você escolhe uma entre quatro versões de filé mignon: ao molho Dijon, Poivre Vert, Gorgonzola ou Laranja com amêndoas. Pra acompanhar a escolha fica entre um Gratin de Batata Baroa, ½ risotto parmegiano, Ratatouille, ½ Salada do Chef ou Musseline de Baroa com ervas. Até 13 de agosto, Dia dos Pais, inclusive você ganhará uma taça de vinho para acompanhar a refeição. O Artè conta com estacionamento próprio e funciona de terça a sexta-feira, das 19h às 23h, nos sábados, das 11h30 às 15h e das 19h às 23h e nos domingos, das 11h30 às 15h.

# Essas meninas estão entrando com tudo no mercado gastronômico para os pequeninos. Juliana Araújo e Titi Staut acabam de apresentar a linha Baby Cook, com purês naturais congelados compostos por nove sabores salgados e doces. A consultoria foi feita pelo chef Francisco Castellano e a Baby Cook

chega como uma ótima opção para as mamães que se preocupam com as primeiras papinhas de seus filhos e querem refeições saudáveis e práticas. Mas essa ideia é genial também para o público que procura alimentos prontos naturais e livres de conservantes ou aditivos químicos. Os purês salgados da Baby Cook estão disponíveis nos sabores Abóbora, Cenoura, Beterraba, Espinafre, Legumes e Carne e Legumes e Frango. Já os doces são Maçã, Banana e Pera. A composição 100% natural, sem aditivos químicos e a embalagem flexível, transparente com bico de rosca. Toda a linha permite que o consumidor enxergue o conteúdo e traz as informações claramente especificadas no rótulo. Há um ano e meio as empresárias vêm pesquisando o mercado e desenvolvendo a linha Baby Cook. Para o lançamento da marca, as embalagens salgadas de 150 gramas e doces de 120 gramas estão sendo vendidas a R$ 9,90.

#gastronomia