Minha Escolha:
Procure por Tag:
Nenhum tag.
Fique a Par:

Carboidratos X exercícios


* Na mesa: É isso mesmo. O carboidrato não é o vilão, segundo a nutricionista da Bioderma Medicina e Estética, Paula Youssef. Eles estão divididos em dois grupos: simples e complexos.

Os carboidratos simples são absorvidos e metabolizados rapidamente e sua absorção também é rápida, o que eleva os níveis de glicemia, como por exemplo, a glicose, encontrada no açúcar refinado.

Quanto mais industrializados os alimentos, mais carboidratos simples possuem e podem acarretar uma hiperglicemia constante no organismo.

Já os carboidratos complexos, de digestão e absorção mais lentos, são os mais indicados, porque não elevam tão rapidamente a glicemia, são menos industrializados e mais ricos em fibras, sementes e farelos. Encontrados facilmente no pão integral, farinha integral, frutas com muitas fibras, verduras e alimentos com grãos.

A ingestão do carboidrato certo, no momento certo pode ajudar na hora do treino e os resultados de sua dieta só irão melhorar. Cardápio inteligente utiliza índice glicêmico e não exclusão.

* Na academia: Existe uma dúvida entre as pessoas que frequentam academia, sobre o que é mais importante na musculação para alcançar o objetivo da hipertrofia muscular – aumentar o número de repetições dos movimentos ou adicionar mais carga? O professor Alexandre dos Santos Leite esclarece que para obter um

resultado desejado, o mais importante é que o aluno atinja a fadiga do músculo, ou seja, execute o movimento até ele falhar. Considerando esse princípio proposto pelo profissional, a carga deve estar de acordo com o condicionamento que a pessoa tem, desde que ela consiga realizar o maior número de movimentos, de forma correta, para alcançar o máximo da performance muscular. "Uma estratégia é ter como base o mínimo de dez e máximo de 20 repetições. Se o praticante não conseguir alcançar dez movimentos corretamente, o peso deve ser diminuído. Já se o número de repetições alcançar 20 sem falhar o movimento, é preciso aumentar a carga", explica Alexandre.De maneira geral, se o seu objetivo é ganho de força, você deve realizar menos repetições com mais carga. Mas se você deseja obter resistência muscular, é preciso diminuir o peso e aumentar o número de repetições. "Em ambos os casos, o músculo sempre deve ser levado à fadiga", ressalta. É importante que o profissional de educação física que montou o seu treino faça modificações de carga e repetições nos exercícios periodicamente, pois se a pessoa permanece por muito tempo com o mesmo treino, os resultados serão reduzidos. Bom mesmo é trocar a ficha de exercícios a cada 6 semanas. Outra dica é não realizar treinos com cargas muito elevadas por mais de 3 meses, por isso pode ocasionar lesões. E lembre-se que, para o alcance do resultado, é necessário o descanso do músculo. Por isso não faça exercícios que utilizam a mesma musculatura por dois dias seguidos.